A partir do sétimo, oitavo mês de gestação acentua-se a preocupação com a organização do enxoval do bebê.  A lavação das roupinhas e outros itens deve ser uma das primeiras coisas a serem feitas nessa reta final. Com a ajuda do pediatra da Maria Clara, Dr. Gean Carlo da Rocha, listamos 10 dicas práticas para a lavação do enxoval do bebê e alguns cuidados necessários para te ajudar nessa tarefa ou orientar adequadamente se alguém for fazê-lo por você. Eu tive a ajuda da minha querida mãe que também colaborou com esse texto.

01
Lembramos que todo o enxoval do bebê deve ser lavados antes do primeiro uso, inclusive jogos de lençóis, toalhas, capas de almofadas e naninhas. Ou seja, tudo que tiver contato com a pele delicada do bebê. Nesse momento inicial você pode optar por lavar somente as roupas de 0 a 3 meses, ou seja, tamanhos RN e P. Eu preferi já lavar tudo para guardar. Caso necessário vamos lavar novamente quando ela for utilizar.

02

As peças do bebê devem ser lavadas separadamente das dos adultos, já que deve-se utilizar produtos diferenciados. Para tanto sugerimos usar baldes e cestos específicos para separá-las. Além de uma tulha de roupas menorzinha e específica para ela, providenciei dois baldes de tamanho médio com as alças rosas para diferenciar dos demais. 

03

Se o produto possuir, leia atentamente a etiqueta com as instruções para a lavação adequada para cada peça. Itens plastificados e com enchimento merecem cuidado especial.

04

Dê preferência por lavar tudo manualmente. Mesmo tendo indicação para utilizar a máquina de lavar (como todos os nossos produtos da PiuCuore Enxovais), nós preferimos nesse primeiro momento, e sempre que possível, fazê-lo a mão para conservar melhor as peças,  já que estas serão lavadas constantemente. De qualquer forma se optar pelo uso da lavadora, aconselhamos o uso de sacos protetores específicos para lavar roupas delicadas na máquina. Uma dica alternativa é usar fronhas grandes para fazer esta proteção.

05

É indicado o uso de sabão neutro diluído ou produto específico para bebê. O sabão de coco também pode ser utilizado e sua forma líquida é uma ótima opção. Já o sabão em pó não deve ser utilizado porque é uma substância alcalina.

06

O uso de amaciante também não é recomendado, pois a criança pode ter tendência a desenvolver dermatites e o mesmo pode ser um desencadeador pela sua composição química e perfume mais intenso. 

07

Atenção especial ao enxágue. Esta é um das etapas mais importantes para garantir que todo o resíduo do produto utilizado tenha sido retirado. Faça enxágues extras – esta medida ajuda a evitar também também alergias e irritações.

08

 Ao invés de também utilizar a secadora de roupas, recomendamos secá-las naturalmente em varal comum em local bem arejado e dê preferência no sol, porém sem a incidência muito forte para conservar a maciez das peças.

09

As roupinhas devem ser passadas a ferro, no sentido avesso e com temperatura média/alta e baixa para tecidos mais delicados. Apesar de práticos com a utilização de steamer (passadeira a vapor) você não consegue ter esse controle de temperatura.

10

Organize os itens por tipo (meias, bodies, fraldas de boca…) em saquinhos arejados. Evite utilizar sacos plásticos por causa de microorganismos como: ácaros, mofo…  Além de ajudar na conservação, facilitam a organização e posterior localização dos mesmo. Utilizei nossas delicadas embalagens confeccionadas em tunil e renda.

Lavação do Enxoval do Bebê

Esse post foi escrito em co-produção com Gean Carlo da Rocha – Médico Pediatra e Neonatologista (CRM 6236), com residência médica e especialização no Hospital Infantil Joana de Gusmão e Maternidade Carmela Dutra em Florianópolis. Atualmente chefe do serviço de Neonatologia da Maternidade Carmela Dutra e Neonatologista da Clínica Santa Helena.
Contatos: (48) 3039-0160  email: geancrocha@terra.com.br

Alba & Maria Carolina & Maria Clara
Alba & Maria Carolina & Maria Clara
Três gerações unidas pelo amor a maternidade.