Animais de estimação e bebês: Como adaptar o seu pet?

A chegada de um bebê modifica a rotina de toda a família! Durante os meses da gestação, todo o planejamento visa preparar o enxoval, o quartinho, e deixar tudo pronto para ele. Nesta preparação os pets também merecem atenção especial. Mas como facilitar a adaptação dos animais de estimação à chegada do bebê?

Esse convívio desde cedo é bem vindo pois auxilia a criança na interação e desenvolvimento social, além disso, diferentemente do que se pensa,  há estudos que comprovam que essa aproximação desde cedo mitiga o risco de alergias e dermatites.

Porém a falta de atenção, a troca de horários e hábitos na rotina da família mudam com o nascimento do bebê e isso pode causar estranhamento e deixar seu “amigo” triste e até enciumado. Por isso, é muito importante condicioná-lo para que ele aceite da melhor forma possível o novo integrante da família.

Para que os animais de estimação possam acostumar-se desde cedo com o bebê, sugerimos:

– Por mais confiável que o pet seja, a interação com o bebê deve ser sempre monitorada por um adulto principalmente no início.

– O choro e a movimentação da criança podem gerar reações nos animais de estimação, como medo e curiosidade. É preciso ter cuidado, mas agir com naturalidade nesses momentos pois, caso o animal seja punido, ele pode associar o bebê a coisas ruins. Sempre recompense qualquer aproximação com elogios, petiscos e muito carinho!

– Certifique-se de que as vacinas e controles (pulgas, vermes,…) do seu bichinho estão em dia. Isso é imprescindível para evitar zoonoses (doenças que são transmitidas dos animais para o ser humano).  Também deve-se redobrar o cuidado com a rotina de higiene do animal (banhos, visitas ao veterinário), assim como com o local de convívio e objetos dele.

– Deixe alguns paninhos novos e limpos em contato com o bebê. Depois coloque-os em locais onde seus pets costumam fazer coisas prazerosas como: perto de sua vasilha de comida, e seu brinquedo preferido… Isso ajudará seu Pet a se familiarizar com o cheiro do bebê desde cedo e a associá-lo a coisas boas.

– Os cães são animais que precisam de bastante atenção e é comum que, por exemplo, que a interação e as saídas para passear diminuam nesse momento. Já os gatos, por serem mais independentes, poderão sofrer no sentido de terem a rotina de descanso alterada. Tente evitar que a rotina dos pets sofra alterações muito bruscas nesse sentido.

Animais de estimação e bebês

A convivência entre a natureza e crianças é muito boa para ambos devendo ser incentivada com os cuidados adequados desde cedo!

Alba & Maria Carolina & Maria Clara
Alba & Maria Carolina & Maria Clara
Três gerações unidas pelo amor a maternidade.